Posse Responsável

 Antes de adquirir um filhote, considere que seu tempo médio de vida é de 12 a 15 anos. Pergunte à família se todos estão de acordo, se há recursos necessários para mantê-lo e verifique quem cuidará dele nas férias ou em feriados prolongados. 

 


   Evite comprar por impulso. De modo geral os filhotes entre 45 e 60 dias são animaizinhos muito lindos, que encantam irresistivelmente as pessoas. 

   Informe-se sobre as características e necessidades da raça – tamanho, peculiaridades, necessidade de espaço físico. 

   Mantenha o seu filhote sempre dentro de casa, jamais solto na rua. Para os cães, passeios são fundamentais, mas apenas com coleira/guia e conduzido por quem possa contê-lo. 

   Cuide da saúde física do seu cãozinho. Forneça abrigo, alimento, vacinas e leve-o regularmente ao veterinário. Dê banho, escove e exercite-o regularmente. 

   Zele pela saúde psicológica do seu cão. Dê atenção, carinho e ambiente adequado a ele. 

   Eduque o seu cachorrinho, se necessário, por meio de adestramento, mas respeite suas características. Nem todos os adestradores são confiáveis, procure um que faça adestramento sem dor/castigo. 

   Recolha e jogue os dejetos (cocô) em local apropriado. 

   Identifique o seu cachorro. É recomendável uma identificação permanente (microchip ou tatuagem).
Alguns criadores já vendem seus filhotes microchipados. 

   Evite os filhotes indesejados ou sem planejamento. Se você não pretende ser criador castre os machos e fêmeas. A castração é a única medida definitiva no controle da procriação e não tem contra-indicações.
  

   A melhor forma de conseguir um filhote idêntico ao seu cachorro é comprar outro do mesmo criador e não simplesmente cruzar ele com "alguma" fêmea. Para chegar no seu filhote o criador planejou muito antes de realizar o cruzamento.
Filhotes geram vários custos e os cruzamentos devem ser planejados por quem entende muito bem da raça e sabe selecionar!

Animais mal acasalados, sem uma experiência tecnica no assunto, sem entendimentos sobre genética e sem prévios exames para doenças de origem genética, pode gerar proles com desvios de temperamento, doenças de origem genética, morfologia fora do padrão com consequencia na funcionalidade do animal. Tudo isso causa transtornos e sofrimento para quem adquire estes animais. Uma pessoa quando compra um filhote espera que este tenha um temperamento típico da raça e espera que ele não tenha doenças, e muitas vezes esta pessoa não está preparada para conviver com um cão que pode não andar mais, ou pode ficar cego, ou mesmo pode se revoltar por este cão ter mordido seu filho. São muitos os problemas. E isso, infelizmente, faz com que muitas pessoas abandonem seus cães, e estes podem ser pegos pela carrocinha e ir parar na zoonose, onde ficarão por alguns dias a espera do dono ou de uma adoção. E caso contrário são sacrificados na câmara de gás, ou de outra forma cruel. Esta é a nossa realidade, e por isso apelo, pedindo que não acasalem seus cães, pois você irá vender ou doar seus filhotes, e por mais que as pessoas aparentam ter o coração bom não é fácil saber a realidade de cada um. E, mesmo pessoas boas abandonam cães, por mil e um motivos, os quais não cabe a nós julgar. Portanto a responsabilidade sobre os cães mortos nas zoonoses do pais são única e exclusivamente de quem produziu estes cães.

Eu tenho uma política aqui no canil, a qual diz em meu contrato que, se um dia, o dono não quizer ais o cão independente da idade e motivo, eu pego o cão de volta. Apesar de eu ser criadora e saber como reproduzir cães com seriedade, responsabilidade e experiência no assunto também corro o risco de ter um filhote meu nas ruas ou nas zoonoses. Possibilidade menor, mas existe. Por isso tenho esta atitude para com os compradores.

A melhor forma de prevenir um acasalamento indesejado é a CASTRAÇÃO. E os benefícios para a saude do cão são inúmeros.

ENTÃO, SE VOCÊ NÃO É CRIADOR...